mswindows.org cheap office-professional-plus-2016 key parajumpers sale www.troilus.es anneshealinghands.nl canada goose jas parajumpers outlet

Novidades:

468 Visualizações

Nos EUA, os carros estão cada vez mais sofisticados com os seus apps


Os novos compradores de automóveis estão demonstrando cada vez mais interesse em adquirir veículos que têm incluído CarPlay, da Apple, e o Android Auto, da Alphabet.

Esses sistemas permitem controlar as telas do painel do carro que hoje fornecem informação e entretenimento aos motoristas, e seguramente vão transformar-se em fontes de receitas com as compras que serão feitas por meio deles. O CarPlay e o Android Auto só recentemente começaram a ser instalados pelas montadoras nos Estados Unidos da América (EUA), mas tudo indica que nos próximos seis anos eles podem estar em 80% dos carros novos vendidos.
As montadoras estão bem hesitantes ainda em desistir dos links (conexões) e sistemas de entretenimento de seus veículos, com a esperança de transformar a tecnologia dos seus painéis como sendo a grande atração para o cliente escolher o seu veículo na hora da compra e, potencialmente, poder gerar receita para si com a venda de informações e o uso da conectividade móvel.

Como consequência, diversas fábricas de automóveis continuam investindo muito dinheiro desenvolvendo seus próprios sistemas, ainda que, ao mesmo tempo, também ofereçam cada vez mais links para os sistemas da Apple ou do Google. Nos EUA, a General Motors (GM) e a Honda começaram recentemente a instalar o CarPlay como uma novidade para os veículos novos, que com isso têm o seu custo aumentado em cerca de US$ 1.500. A Toyota, maior montadora do mundo em vendas, está, por enquanto, evitando os gigantes da tecnologia do Vale do Silício, apoiando-se exclusivamente em seus próprios sistemas para manter uma ligação mais direta e íntima com os clientes. A empresa parte do princípio de que os sistemas da Apple e do Google não são a resposta certa para todos os compradores. Além disso, nem todo mundo é dono de um smartphone capaz de se conectar com o CarPlay ou Android Auto, e os sistemas de terceiros não podem ser usados em todos os mercados.

Em países como a China, os sistemas operacionais Android modificados que são usados nos telefones não funcionam com o Android Auto, e o iPhone, da Apple, não é tão amplamente utilizado como em outras partes do mundo. Além disso, os sistemas da Apple e o Android normalmente não se conectam com os botões no volante de um carro ou não funcionam adequadamente em certas regiões com má recepção de celular. Esses sistemas ainda não se conectam aos controles de aquecimento e ar-condicionado do carro.

Na realidade, as empresas montadoras estão agora competindo com a possibilidade de dar mais informações, e de maneira segura, para o condutor do veículo enquanto este estiver dirigindo.

Deve-se recordar que a Ford dos EUA lançou o primeiro sistema Sync, que executava apps (aplicativos) e enviava e recebia mensagens de texto por meio da ativação de voz em seus modelos 2008!?!? A Ford desenvolveu uma linguagem de código aberto para aplicativos e agora está tentando convencer outros fabricantes de automóveis a utilizá-la para que não tenham que desenvolver sua própria conexão para serviços populares de música on-line, como o Spotify e o Pandora.

No momento, há evidências de que as montadoras estão enfrentando uma tarefa bem difícil, ou seja, impedir que seus clientes as abandonem em favor daqueles que tenham apps melhores. Sem dúvida, o reconhecimento de voz do CarPlay e do Android Auto, baseados na computação em nuvem, pode tornar bem mais fácil para um cliente buscar informações sobre como chegar a um determinado lugar, ou usar as funções do telefone ou encontrar uma música desejada enquanto está dirigindo.

Nesses últimos cinco anos, as montadoras gastaram muita energia, dinheiro e viveram decepções no decorrer do desenvolvimento de seus próprios sistemas de conectividade do veículo. No final das contas, o que ficou claro é que os clientes preferem usar seus smartphones da Apple e do Google, como já fazem quando estão fora do carro…

Conteúdo produzido pela redação da revista Criática.

Publicado recentemente

»

Os e-sports podem um dia ser incluídos nos Jogos Olímpicos?

Temos hoje muitos campeonatos de games, como os de Counter Strike (de ...

»

A Lego tem agora uma “casa de brinquedo”

O parque temático Legoland, que é o carro-chefe do grupo Lego, ...

»

Turistas desejam vivenciar experiências cada vez mais inusitadas

Inicialmente, deve-se destacar que o turismo-indústria representa ...

»

Disney compra Fox para enfrentar a Netflix e a Amazon

No final de 2017, a Walt Disney & Co adquiriu o conglomerado 21st ...

»

Cidades Paulistas Inspiradoras – O Desenvolvimento Estimulado Pela Economia Criativa

A DVS Editora acaba de lançar os livros “Cidades Paulistas ...

»

Dear Basketball – o curta-metragem que deu um Oscar a Kobe Bryant

Kobe Bryant, que recentemente se aposentou, resolveu fazer um filme ...

»

Tudo indica que os filmes humorísticos brasileiros não atraem grandes públicos

Diversas pesquisas indicam que cerca de 85% dos homens adultos adoram ...

»

O projeto de Ferran Adrià: Bullipedia

O chef Ferran Adrià, do icônico restaurante El Bulli, que fechou em ...

»

Um estádio altera de forma significativa o plano urbanístico de uma cidade

Em 4 de fevereiro de 2018 aconteceu na cidade de Minneapolis, no ...